Cabos Submarinos - como funciona a tecnologia que conecta pessoas e continentes?

Cabos Submarinos - como funciona a tecnologia que conecta pessoas e continentes?

Os primeiros cabos submarinos surgiram na década de 1850 (entre América do Norte e a Europa), poucos anos após a invenção do telégrafo. Os cabos submarinos são conexões submersas nos oceanos — entre estações terrestres de rede — usadas para transmitir sinais de telecomunicações. E a internet não é possível sem eles. São milhares de quilômetros de cabos e repetidores atravessando mares. 

 

Imagem: Reprodução / TeleGeography

A capacidade desses cabos submarinos varia muito. Normalmente, os cabos mais novos são capazes de transportar mais dados do que cabos de 15 ou 20 anos. Os recentes são capazes de transportar totais de 160 a 200 Tbps (terabits por segundo). Os cabos submarinos tem vida útil de 25 anos, mas geralmente são aposentados mais cedo porque estão economicamente obsoletos. Não podem fornecer tanta capacidade quanto os mais novos a um custo comparável e se tornam caros para serem mantidos.

 

Atualmente a velocidade média de transmissão de dados pelos cabos é de aproximadamente 4 Tbps (terabits por segundo). Há projetos em andamento que prometem multiplicar esse número. De acordo com o portal TeleSíntese, a empresa Seaborn Networks, por exemplo, concluiu em janeiro a captação de US$ 500 milhões para a construção de um cabo que ligará São Paulo até Nova York, nos Estados Unidos, com a transmissão de dados ocorrendo em 72 Tbps.

 

De acordo com o site TeleGeography.com, no início de 2018, eram aproximadamente 448 cabos submarinos em serviço em todo o mundo. Mas o total de cabos está em constante mudança conforme novos operadores entram e os cabos mais antigos são desativados por questões como aposentadoria, rompimento e outros acidentes.

 

O total em quilômetros de cabos em serviço já ultrapassa 1,2 milhão globalmente. Alguns são bastante curtos, como o cabo CeltixConnect de 131 quilômetros — entre a Irlanda e o Reino Unido. Outros são enormes, como o Asia America Gateway, de 20 mil. 

  

Como os cabos submarinos são por dentro?

Os cabos submarinos modernos usam tecnologia de fibra óptica. Lasers de uma extremidade disparam dados a velocidades extremamente rápidas em fibras de vidro muito finas para receptores na outra extremidade do cabo. Essas fibras de vidro são envoltas em muitas camadas de plástico e metais para sobreviver ao fundo do mar.

 

Isso não quer dizer que cabos de fibra sejam espessos como tronco de árvores. Um cabo costuma ser tão largo quanto uma mangueira de jardim. Os filamentos dentro dele é que são extremamente finos — com aproximadamente o diâmetro de um fio de cabelo humano. Quando mais perto da costa, ganham camadas extras de proteção nas extremidades.

 

Olha só que legal este vídeo que mostra um pouco mais sobre estes cabos: